segunda-feira, 10 de junho de 2013

O cão

cego
o cão atravessa a rua
o cão
no chão quente, no asfalto
que mente ser céu
e tudo
de ponta cabeça
aos olhos sem olhos
do cão amarelo
torto e esbelto
que some
que fome!
debaixo dos carros

ou será que são os carros
tratores urbanos
catarro de ar poluente,
será que são
os carros que surgem
por cima do cão?

vermelho, o cão
de olhos vazios pedindo
fechem-me.

2 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. nova você, fazendo um poema assim ^^
    olhando bem para o cão
    o cão é tão sim

    ResponderExcluir